segunda-feira, julho 28, 2008



TESTAMENTO

Quando os meus cansados olhos
Se encerrarem finalmente à luz do dia,
Vou dizer-te o que deverás fazer
Sempre que sentires saudades minhas.

Descerás o trilho da fajã
Estando o sol no zénite.

Sentar-te-ás à sombra da grande araucária
E, virando ao mar as costas,
Fixarás o olhar no cimo da falésia.

Ouvirás então o piar forte dos milhafres
E admirarás a beleza do seu voo libertário.

Eu serei um deles.

Lembra-te bem disto
Eu serei um deles…

Rocha da Relva, 2008-07-27
Aníbal Raposo

1 comentário:

O Profeta disse...

Um encanto a sua poesia...


Abraço