quinta-feira, julho 26, 2012












CARTA A MEU AVÔ JOSÉ SALGADO
(no dia dedicado aos avós)

Quando me deito à noitinha
Eu penso em ti amiúde
Queira Deus que esta cartinha
Te encontre, avô, de saúde

Muita gente conheci
Todos me deram conselhos
Nenhum chega aos que aprendi
Sentado nos teus joelhos

Eu muito tenho estudado
Lido livros de seguida
Mas tu, doutor, és formado
Na grande escola da vida

Escrevem livros doutores
Com ciência que encandeia
Mas não são livros melhores
Que os campos da minha aldeia

Já corri vilas, cidades
Em todas deixei amores
Mas sabe Deus as saudades
Que eu tenho dos meus Açores

Aqui, são ventos e chuvas
Tudo o mais que do céu brota
Diz-me lá, tens muitas uvas
Na nossa terra da Grota?

Eu não me quero alongar
Pois sei que tens que fazer
Agora vou-te abraçar
Até quando Deus quiser

Um P. S. eu vou fazer
Para beijar a avó
Esteja eu onde estiver
Sem vocês sinto-me só.

Aníbal Raposo
Porto 1974-02-16

5 comentários:

  1. Poesia muito datada mas feita com muita ternura.

    ResponderEliminar
  2. Querido Aníbal ...são lindas as tuas palavras e teus sentimentos são LUZ que DEUS te abençoe . Com Carinho Pedro Pugliese

    ResponderEliminar
  3. Pedro,
    Que Deus te abençoe também.
    Obrigado.

    ResponderEliminar
  4. Gostei


    UM CONVITE ESPECIAL

    Vim cá, lê o seu blogue. Eu, tenho um. Muito simples, sem Cores e sem Nuances. Estou lhe convidando a visitar-me, e se possível, Seguirmos juntos por Eles. Estarei lhe esperando lá, afinal o que importa é a Amizade que fazemos e as publicações que expomos.



    Eu te Convido a vir Aqui www.josemariacosta.com

    ResponderEliminar