sábado, maio 16, 2015























PORTULANOS
Quando navego
impulsionado
por estes panos
num desapego.

Sinto o meu fado
e parto sem medo.
Livre de enganos.

Lisboa 2015-05-16
Aníbal Raposo

2 comentários:

Graça Pires disse...

Gostei.
Beijo.

Anónimo disse...

Mesmo sem porto,
como um "pirata"
aportas sempre!;
e lanças âncora
na alma da gente.

gosto sempre
Omaia