terça-feira, junho 09, 2015


















SAUDADES

De mim
não tens sinal?

Moro
mesmo à direita
dum poste de luz
por trás dum estendal.
Aí é que me vês.
Na rua de nenhures
ovo quarenta e três.

Relva, 2015-06-09
Aníbal Raposo

1 comentário:

Ibel disse...

Andei a passear pela avenidas dos teus versos.
Fiquei encantada, mas não espantada.
És grande, Aníbal. Nasceste para florestar beleza.
Beijo
Ibel