sábado, outubro 10, 2015




















CRESCER

Abençoados sejam
os ventos, velas e veleiros
que nos exigem abaladas.

Crescer é, dolorosamente,
cortar com as amarras
que nos prendem
ao calor do ninho.


Relva, 2015-10-10
Aníbal Raposo

1 comentário: