segunda-feira, novembro 02, 2015























NÃO TE DIREI ADEUS

Não te direi adeus, mas até breve.
Quem sabe se não chegarei primeiro
A esse sítio etéreo e derradeiro 
Em que, esperamos, tudo se releve?

E se a nossa amizade sempre teve
Em tempo certo, um riso prazenteiro
Pois que fique p' ra sempre companheiro
Teu riso vivo que a vida conteve.

É que a melhor das minhas alegrias
Foi ter desde o princípio ao fim dos dias,
Sempre ao meu lado, os bons amigos meus.

Deus que sei eu? Mas digo-te porém:
- Feliz aquele que no final tem
Alguma coisa a que dizer adeus.

Relva, 2015-11-02
Aníbal Raposo

1 comentário: