quinta-feira, dezembro 03, 2015




















MUSAS FUGIDIAS

Não deves
forçar nada
A poesia
sai

Não tem
porta
de entrada

Relva, 2015-12-03
© Aníbal Raposo

Sem comentários:

Enviar um comentário