quinta-feira, outubro 29, 2020

RENASCIMENTO

























Eu hei de sempre pensar que te encontrei
Na curva brusca em que o meu riso derrapara,
Naquele abismo soturno onde pensei
Que o coração em desespero se lançara.
Mas veio o dia, com a esperança que seduz,
Também o encanto, a magia e o teu perfume
E das cinzas da fogueira já sem luz
Se acendeu, incontrolado, um novo lume.
E tudo junto apareceu dessa maneira,
Em desgoverno e num arroubo de paixão
Vieram canto e palavra, em cachoeira,
Veio um amor que não é desta dimensão.
Aníbal Raposo
2020-10-29
(pintura de Naomi Walker, UK)

2 comentários: