quarta-feira, janeiro 20, 2021

 



CAL E ENGANOS 

Há porventura
Alguma criatura
Que em siso pleno
Queira o veneno
De nova ditadura?

Quem a sofreu
Jamais esqueceu
Tal amargura.
A noite escura
Em que viveu.

Falsa brancura,
De cal, em fétida sepultura. 

            Aníbal Raposo


1 comentário:

  1. Pois é...há por ai muita cal a tapar para disfarçar o escuro.
    Receio pela memória dos homens...é curta...e o juízo, cada vez é menos.
    Gostei deste Cal e Enganos.

    ResponderEliminar