domingo, fevereiro 26, 2017



















DO VOO DAS SEMENTES

Apesar de toda a lida
Há uma coisa que a vida
Acabou por me ensinar:
Quase todas as sementes
Mesmo as mais inconvenientes
Gostam muito de voar.
E germinam diligentes
Tendo terra p'ra medrar.

Relva, 2017-02-26
Aníbal Raposo

sábado, fevereiro 25, 2017















POR UM FIO

Se tens alegria, muita paz, saúde
Se olhas pelos outros e tens bom feitio
Vive a tua vida sempre em plenitude
Pois há quem a tenha presa por um fio.

Relva, 2017-02-25
Aníbal Raposo

(foto de Gianni Boradori)

sexta-feira, fevereiro 24, 2017



















CRESCER

Nas dificuldades segue sempre em frente.
Sonha em grande escala, que isso é coisa boa,
Frui cada momento, devora o presente.
Num bater de asas o tempo se escoa...

Relva, 2017-02-24
Aníbal Raposo


















ROTAS

Enquanto crescia num mar de escassez
Duas coisas tinha, num futuro incerto:
- A terra macia na sola dos pés;
- O vento na cara no voo liberto.                        

Relva, 2017-02-24
Aníbal Raposo

domingo, fevereiro 19, 2017














TEMPO
Quem dera o tempo empurrar
Para um tempo que há de vir
Onde tempo há de sobrar
Para viver e sorrir.

Relva, 2017-02-19
Aníbal Raposo

Foto de Leonardo Boniotto

sexta-feira, fevereiro 17, 2017

















SONHADOR

Ando na lua, sou dado a devaneios.
Namoro a vida e ponho-me a sonhar
Depois, quando me canso de recreios,
olho p'ra mim.  É tão bom acordar...


Relva, 2017-02-17
Aníbal Raposo

sábado, fevereiro 11, 2017























VENI CREATUR SPIRITUS
Acrílico sobre tela
30 x 50 com
Em louvor do DES.
Praticando... Para completar este fim de semana.

sexta-feira, fevereiro 10, 2017













TEMPO

Tentei agarrar o tempo
Só queria conversar...
O tempo estava sem tempo
Para comigo gastar...

Relva, 2017-02-10
Aníbal Raposo













VIAJANTE

Sagitário sou, vivo sem descanso,
Corro por aí, ao sabor dos ventos,
Em busca de lugares que nunca alcanço,
Só visitados p' los meus pensamentos.

Relva, 2017-02-08
Aníbal Raposo

domingo, janeiro 29, 2017















ARTES
Manejo os pincéis
à procura do tom da cor
da palavra
certa.
Relva, 2017-01-29
Aníbal Raposo

quinta-feira, janeiro 19, 2017













ROMARIA
Procura amor e paz,
partilha, comunhão,
na tua caminhada
no rosto dum irmão.
E põe a humanidade
em cada Ave Maria
 rezada com verdade
 pois Deus é quem nos guia.

Aníbal Raposo
(preparando a décima terceira romaria)
2017

sexta-feira, janeiro 13, 2017























QUANDO ME QUISERES FALAR DE AMOR

Sempre que este céu chorar de breu
fala-me ao ouvido de águas soltas.
Das que escorrem pelas muitas cicatrizes
que um dia a lava em fogo desenhou
no corpo verde e virgem
desta ilha.
Fala-me também de mares revoltos,
seduzidos pela lua e pelo vento.
Das ondas-véus-de-noiva a desabar
sobre o preto mistério do basalto.
De impulsivos abraços, apertados.
Dos cheiros sensuais
que há na maresia.

Por fim podes falar-me, meu amor,
Da quietude das águas das lagoas.
São espelhos que refletem tanta luz
como a que é derramada sem pudor
nos olhos soalheiros
dos amantes.

Relva, 2016-01-13
Aníbal Raposo

sexta-feira, novembro 11, 2016














SEDE DE APRENDER

Sempre que ouço um: não sei, explica-me,
mergulho nos olhos de quem o diz e penso:
- na singeleza, condição dos sábios;
- no azul intenso do mar oceano de aprender.

Relva, 2016-11-11
Aníbal Raposo

terça-feira, novembro 01, 2016




















1 DE NOVEMBRO

Em caso de desaparecimento
Procurem por mim
Na confluência
Da luz.

Aníbal Raposo
2016-11-01











RITUAIS

Deitei flores na campa
dos que se afastaram,
como vi fazer.

Depois tive a graça
de abraçar os vivos.
Resta agradecer.

Relva, 2016-11-01
Aníbal Raposo

segunda-feira, outubro 31, 2016















AUSÊNCIAS

Tenho tantas saudades
De vós, como de mim,
Naquilo que já fui.

E mais saudades tenho
De mim, como de vós,
Em tudo o que serei.


(aos familiares que partiram)

Relva, 2016-10-31
Aníbal Raposo

segunda-feira, outubro 24, 2016












DO RUÍDO
Gosto de falar baixo
com elevação.

Pelo que é sabido
em cada conversa
os decibéis variam.

Na razão inversa
da nossa razão.

Relva, 2016-10-14
Aníbal Raposo

















EM CADA COISA SIMPLES TE REVEJO

Recordo muito bem quando apareceste
Estava sem rumo, perdido no deserto
E foi tão pouco e tanto o que fizeste
Que já não sei viver sem te ter perto

Não custa confessar, de ti preciso
Porque tu és a porta que franqueia
A alegria que abre o meu sorriso
A chispa que os meus olhos incendeia

Paz e harmonia, a luz do meu sol pôr
Nota feliz na pauta do desejo
E é por seres assim, oh meu amor,
Que em cada coisa simples te revejo

Relva, 2016-10-22
Aníbal Raposo

quinta-feira, setembro 08, 2016















DA POESIA

Verso meu, mesmo singelo,
Poder ser, saindo ao rubro,
O palco onde me revelo
O covil onde me encubro.

Relva, 2016-09-08
Aníbal Raposo

quarta-feira, setembro 07, 2016














DO DINHEIRO

Do dinheiro ser beato
É coisa de pouco siso
Um homem que é sensato
Só possui o que é preciso.

Relva, 2016-09-07
Aníbal Raposo