quinta-feira, março 23, 2017















13.ª ROMARIA

Porque me lanço ao caminho uma vez mais,
Se prezo uma alegria?
O que me faz viver de novo esta paixão?
Há paz numa agonia?

Expiar em penitência os lapsos meus?
Mirar o invisível?
Buscar a face serena do meu Deus?
Tocar o inacessível?

Perguntas vãs..

Velho romeiro,
sei ao que vou:

- Romper manhãs;
- Buscar quem sou.


Relva, 2017-03-23
Aníbal Raposo


(a preparar a caminhada)

terça-feira, fevereiro 28, 2017



















O DIA DE

Gosto muito de me rir
Se me dá na real gana
Nunca por ser dia de
Mas devo reconhecer
Que há coisas para fazer
Num preciso dia de

Exemplo:
Hoje à tardinha
Enquanto muitos dormiam
Após a farra na rua
Estive a podar a vinha.
É no escuro da lua...
emoji unicode: 1f642
Relva, 2017-02-28
Aníbal Raposo















UM BRILHO NOS OLHOS

Se acaso vislumbrares
Em plena madrugada
Um pássaro singular
Com olhos esmeralda
E antento o escutares.

Repara no que diz:
- Eu canto a liberdade;
- Vês? Voo, sou feliz.


Relva, 2017-02-28
Aníbal Raposo


domingo, fevereiro 26, 2017



















DO VOO DAS SEMENTES

Apesar de toda a lida
Há uma coisa que a vida
Acabou por me ensinar:
Quase todas as sementes
Mesmo as mais inconvenientes
Gostam muito de voar.
E germinam diligentes
Tendo terra p'ra medrar.

Relva, 2017-02-26
Aníbal Raposo

sábado, fevereiro 25, 2017















POR UM FIO

Se tens alegria, muita paz, saúde
Se olhas pelos outros e tens bom feitio
Vive a tua vida sempre em plenitude
Pois há quem a tenha presa por um fio.

Relva, 2017-02-25
Aníbal Raposo

(foto de Gianni Boradori)

sexta-feira, fevereiro 24, 2017



















CRESCER

Nas dificuldades segue sempre em frente.
Sonha em grande escala, que isso é coisa boa,
Frui cada momento, devora o presente.
Num bater de asas o tempo se escoa...

Relva, 2017-02-24
Aníbal Raposo


















ROTAS

Enquanto crescia num mar de escassez
Duas coisas tinha, num futuro incerto:
- A terra macia na sola dos pés;
- O vento na cara no voo liberto.                        

Relva, 2017-02-24
Aníbal Raposo

domingo, fevereiro 19, 2017














TEMPO
Quem dera o tempo empurrar
Para um tempo que há de vir
Onde tempo há de sobrar
Para viver e sorrir.

Relva, 2017-02-19
Aníbal Raposo

Foto de Leonardo Boniotto

sexta-feira, fevereiro 17, 2017

















SONHADOR

Ando na lua, sou dado a devaneios.
Namoro a vida e ponho-me a sonhar
Depois, quando me canso de recreios,
olho p'ra mim.  É tão bom acordar...


Relva, 2017-02-17
Aníbal Raposo

sábado, fevereiro 11, 2017























VENI CREATUR SPIRITUS
Acrílico sobre tela
30 x 50 com
Em louvor do DES.
Praticando... Para completar este fim de semana.

sexta-feira, fevereiro 10, 2017













TEMPO

Tentei agarrar o tempo
Só queria conversar...
O tempo estava sem tempo
Para comigo gastar...

Relva, 2017-02-10
Aníbal Raposo













VIAJANTE

Sagitário sou, vivo sem descanso,
Corro por aí, ao sabor dos ventos,
Em busca de lugares que nunca alcanço,
Só visitados p' los meus pensamentos.

Relva, 2017-02-08
Aníbal Raposo

domingo, janeiro 29, 2017















ARTES
Manejo os pincéis
à procura do tom da cor
da palavra
certa.
Relva, 2017-01-29
Aníbal Raposo

quinta-feira, janeiro 19, 2017













ROMARIA
Procura amor e paz,
partilha, comunhão,
na tua caminhada
no rosto dum irmão.
E põe a humanidade
em cada Ave Maria
 rezada com verdade
 pois Deus é quem nos guia.

Aníbal Raposo
(preparando a décima terceira romaria)
2017

sexta-feira, janeiro 13, 2017























QUANDO ME QUISERES FALAR DE AMOR

Sempre que este céu chorar de breu
fala-me ao ouvido de águas soltas.
Das que escorrem pelas muitas cicatrizes
que um dia a lava em fogo desenhou
no corpo verde e virgem
desta ilha.
Fala-me também de mares revoltos,
seduzidos pela lua e pelo vento.
Das ondas-véus-de-noiva a desabar
sobre o preto mistério do basalto.
De impulsivos abraços, apertados.
Dos cheiros sensuais
que há na maresia.

Por fim podes falar-me, meu amor,
Da quietude das águas das lagoas.
São espelhos que refletem tanta luz
como a que é derramada sem pudor
nos olhos soalheiros
dos amantes.

Relva, 2016-01-13
Aníbal Raposo

sexta-feira, novembro 11, 2016














SEDE DE APRENDER

Sempre que ouço um: não sei, explica-me,
mergulho nos olhos de quem o diz e penso:
- na singeleza, condição dos sábios;
- no azul intenso do mar oceano de aprender.

Relva, 2016-11-11
Aníbal Raposo

terça-feira, novembro 01, 2016




















1 DE NOVEMBRO

Em caso de desaparecimento
Procurem por mim
Na confluência
Da luz.

Aníbal Raposo
2016-11-01











RITUAIS

Deitei flores na campa
dos que se afastaram,
como vi fazer.

Depois tive a graça
de abraçar os vivos.
Resta agradecer.

Relva, 2016-11-01
Aníbal Raposo

segunda-feira, outubro 31, 2016















AUSÊNCIAS

Tenho tantas saudades
De vós, como de mim,
Naquilo que já fui.

E mais saudades tenho
De mim, como de vós,
Em tudo o que serei.


(aos familiares que partiram)

Relva, 2016-10-31
Aníbal Raposo

segunda-feira, outubro 24, 2016












DO RUÍDO
Gosto de falar baixo
com elevação.

Pelo que é sabido
em cada conversa
os decibéis variam.

Na razão inversa
da nossa razão.

Relva, 2016-10-14
Aníbal Raposo