domingo, fevereiro 26, 2012














ROMARIA

Na longa caminhada que se aproxima
Procurarás afinar a tua alma
Pelo grande diapasão
Do universo.

Tu sabes bem que ele existe
E que alguém o faz vibrar.

Ao terceiro dia de jornada
Quando voares nas asas do cansaço
Abre bem os teus ouvidos
Ao seu som único,
Inconfundível.

Ao pressentires que o teu coração pulsa
Na mesma frequência,
Esboça um sorriso.

Atingiste a paz.

Aníbal Raposo
Ponta Delgada, 2012-02-26

sexta-feira, fevereiro 24, 2012



A MAHATMA GHANDI

Procura ser com o bambu
Que se ergue aprumado, forte,
E solidário no meio do canavial.

Guarda sempre
No sótão da tua memória
A imagem de cada vento ciclónico
Que por ti passou.

Lança fundo as tuas raízes
Para te manteres ereto
E verga à força bruta
Apenas o necessário,
O suficiente.

Verga.
Nunca quebres.

Aníbal Raposo
2012-02-25

terça-feira, fevereiro 21, 2012














ENTRUDO

Cá no país o patrão,
A brincar de pau mandado,
Romper quis com a tradição
Não reconhece o feriado.
Anunciou feito fera:
Vai ser trabalho forçado!
A tradição é o que era
Lá ficou enxovalhado...

Aníbal Raposo
Ponta Delgada, 2012-02-21

sexta-feira, fevereiro 17, 2012
















(Ribeira do Porto - Óleo sobre tela - Teixeira da Mota)

RIBEIRA

Se calhar estás bem diferente
Mas quando te conheci
Namorei a tua gente
O encanto que havia em ti

Os meus jantares na Marina
(Como era novo e feliz)
A muralha Fernandina
A Ponte de D. Luíz

Eu, um milhafre das ilhas
Aprendi e tive sorte
No falar das tuas filhas
O bom sotaque do Norte

Oh Ribeira que vivi  
(Há sítios que não se esquecem)
Quando me lembro de ti
Os meus olhos humedecem.

Aníbal Raposo
Ponta Delgada, 2012-02-17

terça-feira, fevereiro 14, 2012










SÃO VALENTIM

Tu o céu
Eu o mar
O horizonte
O nosso amor

Aníbal Raposo
Ponta Delgada, 2012-02-14

domingo, fevereiro 12, 2012









ACREDITAR

Às vezes sei
Quanto é difícil
Sonhar
E construir
Ledos futuros.

Porém
Algum de vós
Esperaria
Que ao rocio do mar
Sobre o basalto
Brotasse vida?

Aníbal Raposo
2012-02-12
(Foto tirada esta tarde em Ponta Delgada)

sábado, fevereiro 11, 2012













FELICIDADE

Hei de gostar de mim
E dizer: sou gente!
Cuidarei do meu corpo,
Adestrarei a mente.

Hei de cultivar a fé
E semear a esperança.
Redescobrir cá dentro
Risos de criança.

Se a vida tem prazeres,
Hei de os vislumbrar.
E manterei, eternamente,
Uma vontade imensa
De criar.

Ousarei ser feliz
Aqui e agora.
Apesar da crise, amor,
E mau grado a hora.

Recordarei sempre
Os bons momentos
Que passei a sós
Ou a fazer amigos.
Hei de rezar a Deus,
Para proteger,também,
Meus inimigos.

Compararei, à vez,
Os meus problemas
Com a imensidão do mar.
E inventarei um sol
Enorme e quente
Para te amar.


Aníbal Raposo
Ponta Delgada, 2012-02-11

segunda-feira, fevereiro 06, 2012














ORGULHO

Do orgulhoso às vezes sinto dó
Pois sei que apenas se anda a enganar.
Orgulho para quê se somos pó
E se no fim em pó vamos ficar?

Meu Deus p'ra quê orgulho? Tudo é vão.
Conheço a irmã do orgulho é a vaidade...
Se queres fazer da vida uma lição
Mais vale que cultives humildade.

Procura antes a sabedoria  
Que ela sim, verga ao vento como o feno.
Orgulho, irmão, não te traz alegria.
Olha p'ró céu e vê como és pequeno... 


Ponta Delgada, 2012-02-06

quarta-feira, fevereiro 01, 2012















INSTANTE

Foi-se depressa

O meu amigo.

E mais não digo.


Relva, 2012-02-01
AMIZADE

Ah como é bom termos um fiel amigo
Mesmo que ele não more junto à nossa porta.
Ir à bola juntos, que é vício antigo,
Zangarmo-nos, também, porque amigo importa.
Ampararmo-nos ambos se cheiramos perigo.
Dar-lhe o nosso tempo, partilhar as águas,
E um ombro enorme para chorar as mágoas.

Aníbal Raposo
Ponta Delgada, 2012-02-01