sexta-feira, fevereiro 17, 2012
















(Ribeira do Porto - Óleo sobre tela - Teixeira da Mota)

RIBEIRA

Se calhar estás bem diferente
Mas quando te conheci
Namorei a tua gente
O encanto que havia em ti

Os meus jantares na Marina
(Como era novo e feliz)
A muralha Fernandina
A Ponte de D. Luíz

Eu, um milhafre das ilhas
Aprendi e tive sorte
No falar das tuas filhas
O bom sotaque do Norte

Oh Ribeira que vivi  
(Há sítios que não se esquecem)
Quando me lembro de ti
Os meus olhos humedecem.

Aníbal Raposo
Ponta Delgada, 2012-02-17

4 comentários:

:.tossan® disse...

Isso é uma letra de música? Maravilhosa! Gostaria de ouvir se for.
- Namorei a tua gente - Já fiz muito isso. Abraço

Multiolhares disse...

A Ribeira tem um toque especial
o cantar da sua gente
seja no passado ou presente
tem uma beleza sem igual.

bjs

Eduardo Aleixo disse...

Como o milhafre das ilhas é doce no seu versejar.
Como os seus versos versejam uma realidade concreta e conhecida de quem canta bem e sabe pelos caminhos caminhar.
Gosto sempre
de
te
visitar.

© Piedade Araújo Sol disse...

bem rimado a lembrar o Norte e a saudade.

um beij