quinta-feira, abril 24, 2014















25 DE ABRIL

O pó tu podes morder
Tratado abaixo de cão
Mas ninguém pode conter
A força que é na razão

Relva, 2014-04-24
Aníbal Raposo


terça-feira, abril 22, 2014




















TERRA

É dom de poucos
Ter uma casa e residir,
No meio do universo.
Linda e azul, amigo.

Mau grado os loucos
Que nos procuram conduzir
Ao destino perverso,
De párias sem abrigo.

Relva, 2014-04-22
Aníbal Raposo

domingo, abril 20, 2014















PÁSCOA

A luz
Tomou o lugar
Da noite de breu.

Jesus,
Ao ressuscitar,
A morte venceu.

Relva, 2014-04-20
Aníbal Raposo

sexta-feira, abril 04, 2014



ROMEIROS

Esta madrugada
Vamos regressar
Aos trilhos sagrados.

Uma luz no peito,
E o canto na boca.
Partimos alegres
Na fé irmanados.

Ao terceiro dia
Estamos desligados.

Com a alma limpa
O corpo flutua
Sobre os pés cansados.

  
Relva, 2014-04-04
Aníbal Raposo

quinta-feira, abril 03, 2014















AXIS MUNDI

No fundo da espiral
Dos nove patamares
Prostrado na rosácea,
Por sobre a cruz do templo,
Busquei a harmonia
No útero da mãe terra.

Mais tarde,
Das entranhas do poço,
Esvoacei para o céu.

Relva, 2014-04-03

Aníbal Raposo

quarta-feira, abril 02, 2014



















PORQUE AMO AS ÁRVORES

Abrigam voos
Guardam o tempo
Crescem ao céu
Morrem a prumo

Relva, 2014-04-02
Aníbal Raposo