sexta-feira, abril 29, 2016

ECCE HOMO

Sei que amanhã,
quando sair do templo a tua santa imagem,
ecoará o som das roqueiras,
festivo, na falésia.

Por essa altura,
que com as aves me levanto,
já terei louvado e invocado
setenta vezes sete
o teu sagrado nome.

E enxergado, aonde o olhar puser,
o rasgo sublime da tua
mão criadora.

Em cada melro que vier
riscar o azul do céu.

Em cada peixe
que vir saltar no mar.

Em cada flor singela
empenhada em colorir
o belo quadro
desta fajã que ambos
partilhamos.

Amen.


Relva, 2016-04-29
Aníbal Raposo

(na sexta-feira do Senhor Santo Cristo)






















DA SAPIÊNCIA

Claro que posso voar.
Ah, se não posso...

E sei nadar também.
É coisa inata.

Mas há maior conforto
que descansar, serenamente,
tendo a cabeça e os pés enxutos?

Relva, 2016-04-29
Aníbal Raposo

Foto de Allan Borebor

segunda-feira, abril 25, 2016














25 DE ABRIL

E depois da noite escura
rasgou-se a clara madrugada.
Não se encontrava
peito bastante
para entoar o sonho
encurralado.
Um hino
cravejado de alegria
Uma oração espontânea
à Santa Liberdade!

Relva, 2016-04-25
Aníbal Raposo

sexta-feira, abril 22, 2016

















TERRA

Um barco curioso
na navegação do teu corpo.

As narinas abertas
à sedução dos teus cheiros.

Em cada fim de semana
a folia dos amantes.

Relva, 2016-04-22
Aníbal Raposo
(no dia da terra)

sábado, abril 16, 2016

















CARA E COROA

Eu tenho um lado negro que esclarece
O meu lado solar do dia a dia.
É o meu flanco insensato, onde se tece
O sal da minha vida, o da alegria.

Colidem seriamente, aqui e além,
Mas fazem sempre as pazes. É espantoso
Como o lado que é escuro entende bem
O que é da claridade, o luminoso.

Opõe-se a maré vaza à maré cheia,
À sombra opõe-se a luz que me encandeia.
Cada moeda tem cara e tem coroa.

Depois de cada noite, um amanhecer.
Assim sou eu e como é bom haver
Dois lados desiguais, uma pessoa.

Relva, 2016-04-16
Aníbal Raposo

Foto de Isidro Vieira

domingo, abril 10, 2016




















O BARCO E A TEMPESTADE

Às vezes, de verdade,
sou um barco singular.
Amo a tempestade.

Relva, 2016-04-10
Aníbal Raposo


Pintura "into the light" de Chris Pointer

sexta-feira, abril 08, 2016
















AMBIÇÕES

Invejo a bebedeira da seta
na vertiginosa busca
do fim, da verdade.

Adoro de viajar
com ela.

Porém, ao fazê-lo,
confesso prudentes receios
de me estampar
no alvo.

Relva, 2016-04-08
Aníbal Raposo

quinta-feira, abril 07, 2016
















TEMPO E INDOLÊNCIA

Façam correr
o tempo.

É lento de mais
para os tempos
que tenho.

Relva, 2016-04-07
Aníbal Raposo

quarta-feira, abril 06, 2016























ORAÇÃO

Nos dias que
voam

rezo para ser
pássaro.


Relva, 2016-04-06
Aníbal Raposo

(quadro de Tony Lima)

sexta-feira, abril 01, 2016














1 de abril

Dizes que por mim suspiras
As fraquezas são humanas
Eu adoro ouvir mentiras
Quando "de veras" me enganas.


Relva, 2016-04-01
Aníbal Raposo