terça-feira, maio 17, 2016
















AÇORES

Acima do que é certo,
um infinito azul
a descobrir
e um navio.

O eterno
desafio.

Relva, 2016-05-17
Aníbal Raposo

(foto do meu amigo Rui Coutinho)

sexta-feira, maio 13, 2016

















LIBERTAÇÃO

Cinco pegadas soltas,
só cinco,
na areia.

Para trás a fronteira
de arame farpado,
uma teia.

Uma ânsia da vida
que é breve,
escasseia.

Uma treva de noite
feita claridade.
Uma lua,
cheia.

Relva, 2016-05-13
Aníbal Raposo

















    DA CRIATIVIDADE

    Se queres manter a tua mente
    aberta, em modo criação,
    não tenhas medo.

    Quem tem medo,
    não cria:

    - ou mia
    ou compra
    um cão.

    Relva, 2016-05-13
    Aníbal Raposo






















SOMBRAS E REALIDADES

Quantas vezes
as sombras visíveis
suplantam as dimensões
da realidade?

Relva, 2016-05-13
Aníbal Raposo

foto de Manolo Mantero

sábado, maio 07, 2016

O ETERNO RETORNO

Sempre
que quero
nascer de novo.

É simples:
volto ao ovo.

Relva, 2016-05-07
Aníbal Raposo

sexta-feira, maio 06, 2016























VIAGEM

Uma lua cheia,
um sonho
e um barco.

É certo
que embarco.

Relva, 2016-05-06
Aníbal Raposo

quinta-feira, maio 05, 2016















ALEGORIA

Quem foi que ligou o projetor de imagens,
instalou a tela mesmo à minha frente,
e baixou a luz no resto da sala?

Quem me acorrentou neste assento suave
para me servir os assuntos certos?

Quem os fez tão gratos perante os meus olhos
e me aprisionou nesta realidade?

Não há sequestrados
que amam que os prende?

Relva, 2016-05-05
Aníbal Raposo

quarta-feira, maio 04, 2016























AMOR À VIDA

Enquanto esvoaçarem
da concha das minhas mãos inquietas
pássaros livres.

E conseguir servir
favos de mel, em melodias suaves,
a corações sensíveis.

Penso ficar.

Quem sabe o que Deus pensa?

Relva, 2015-05-04
Aníbal Raposo

foto de Sophie Delaporte in "A lifetime photography"

domingo, maio 01, 2016























MÃE

Guardo no meu peito
dez sinos de vento.

Bem vistas as coisas
nada mais possuo.

Recordam quem sou
e quem pretendo ser.

São lembranças tuas
minha mãe querida.


Relva, 2016-05-01
Aníbal Raposo