domingo, abril 10, 2016


















O BARCO E A TEMPESTADE
Às vezes, de verdade,
sou um barco singular.
Amo a tempestade.

Relva, 2016-04-10
Aníbal Raposo


Pintura "into the light" de Chris Pointer

3 comentários:

Canto da Boca disse...


A tempestade de certa forma nos obriga a vencê-la e a nos vencer também.
Um barco singular sempre a cortar as ondas, qualquer que seja a circunstância...

Graça Pires disse...

Muito belo!
Beijo.

Anónimo disse...

Parabens plo belissimo poema.

Uma linda semana.
Grande beijo.

GLUOSNIS - LITUANIA