terça-feira, junho 16, 2015















REFÚGIO

Apesar de tudo
é bom ter um abrigo
pintado em tons de azul.

Esta linda casa
bem fazia jus
a outros locatários:

serenos,
sensíveis,
solidários,

desde o norte
ao sul.


Relva, 2015-06-16
Aníbal Raposo

sexta-feira, junho 12, 2015
















DAS GUERRAS DE AMOR

Leva-me ao teu tanque secreto
E mata a minha sede.

Toca a melodia dos sobrevivos
nas teclas feiticeiras
do teu acordeão.

Aponta e dispara sem medo
neste meu peito aberto.

Explode coração!


Relva, 2015-06-12
Aníbal Raposo

photo Leszek Paradowski

quarta-feira, junho 10, 2015























DIA DE PORTUGAL

Já estamos de saco cheio
De corruptos e ladrões
Não venham com mais paleio
Nem chateiem o Camões


Relva, 2015-06-10
Aníbal Raposo

terça-feira, junho 09, 2015


















SAUDADES

De mim
não tens sinal?

Moro
mesmo à direita
dum poste de luz
por trás dum estendal.
Aí é que me vês.
Na rua de nenhures
ovo quarenta e três.

Relva, 2015-06-09
Aníbal Raposo






















CONCISO

É preciso
o siso
soltar
se viso
voar.

Relva, 2015-06-09
Aníbal Raposo

sexta-feira, junho 05, 2015
















NINHO DE MILHAFRE

Gosto de pensar
na minha casa como mirante
de todas as chegadas.

Lugar sobranceiro
a todas as partidas. 

Relva, 2015-05-05
Aníbal Raposo