sexta-feira, setembro 18, 2009



MEXES COMIGO

Não sei se é só por seres a minha musa,
Nem sei se é minha sorte ou meu castigo,
De cada vez que o nosso olhar se cruza
Sinto o chão a fugir, mexes comigo.

Ponta Delgada, 2009-09-18

12 comentários:

O mar me encanta completamente... disse...

Olá Anibal, venho me desculpar pela ausencia, mas não estou bem de saude.
Estamos muito traumatizados e tristes com tudo o que aconteceu, (viste la no meu blogue)
Vim agradecer teu carinho,
e dizer que é sempre uma delicia "viajar" aqui no teu cantinho, caminhar por tuas palavras...


Bom fim de semana.

Paula Raposo disse...

A sensação do 'chão a fugir' é das mais belas sensações!!! Adorei!! Beijinhos, bom fim de semana.

Paula Raposo disse...

Esquecia-me de dizer que adorei a foto!! Sensual...

José Carlos Brandão disse...

Belíssima foto e belíssimo poema. Mexeram comigo. É verdade: a beleza faz-nos sentir o chão fugir.

Um grande abraço.

Sonia Schmorantz disse...

Que bom quando alguém mexe com a gente, nos tira do chão, segundos de infinitude...
Muito bonito a forma como escreveu.
Um abraço e ótimo final de semana.

EDUARDO POISL disse...

Se tem alguma coisa que faz o chão fugir é a beleza.


Charles Chaplin disse em um de seus poemas , que a vida é uma peça de teatro na qual não se permite ensaios ,poderia também se basear em um circo , pois o que existe dentro de todos é a alegria de viver e um simples aplauso que faz a vida crescer .
Wesley moreira

Desejo um lindo final de semana cheio de amor e carinho.
Abraços do amigo Eduardo Poisl

utopia das palavras disse...

É uma sensação que todos deviamos experiênciar...!
Mas descrevê-la dessa forma é só para alguns! Lindo, Aníbal!

Beijinho

Graça Pires disse...

A sensualidade da imagem complementada pelas palavras.
Um abraço.

Pecadormeconfesso disse...

Hum. Isso é paixão. :-)

Sá Couto disse...

Não sei se é poema,
se é razão...
Mas uma coisa me parce certa...
...é paixão!
Abraço
Sá Couto

Sílvia disse...

adorei o blog! parabéns :)

Rita Madeira disse...

Lindo!
Abraço
Rita Madeira