segunda-feira, outubro 31, 2011



DIA DE FINADOS

Foi só há dois anos.
Pensei que era a hora
E senti-os tão perto...

Tenho nos ouvidos
As suas vozes suaves
Quando eu caminhava
No túnel de luz.
A débil fronteira
Entre os nossos mundos...

Amanhã, mal o sol desponte
Vou levar-lhes flores.

É a minha forma
De brindar com eles
À morte do medo.

2011-10-31

1 comentário:

João Mendonça disse...

Belo e profundo poema! Parabéns pelas palavras trabalhadas a transmitir emoções.
É a primeira vez que comento aqui, e gostei muito de tuas poesias.
Abraço fraterno!