domingo, abril 22, 2012














TERRA

Em ti semeio, a cada estação,
os meus desejos, na esperança
de ser correspondido.

Na maior parte das vezes,
insistes em surpreender-me
e fazes-me gozar o espanto
duma nova e ardente relação.
É gentil da tua parte, porque ambos
a sabemos bem madura.

Gosto de pôr as mãos em ti
e de te afagar o corpo todo
porque sempre sou correspondido.

Basta-me fechar os olhos e consigo
adivinhar o teu perfume intenso
quando o céu se rasga
em cada chuvada de agosto.

Um dia destes, sempre enamorado,
deitar-me-ei a sós contigo.
Daremos um forte abraço
e fundir-nos-emos os dois
até ao final dos séculos.

Aníbal Raposo
Ponta Delgada, 2012-04-22
(dia da terra)

1 comentário:

Ana Martins disse...

"...e fundir-nos-emos os dois
até ao final dos séculos."

LINDO!

Beijinho,
Ana Martins