sexta-feira, maio 08, 2009



DESABAFO
(tempus fugit)

Estou submerso até à testa
No labor do dia-a-dia
Pouco é o tempo que resta
P' ra dedicar à poesia.
  
A poesia é p'ra comer!
Disse a Natália a preceito. 
Era bom sobreviver
Comendo versos a eito...

Ponta Delgada, 2009-05-08
Aníbal Raposo

24 comentários:

  1. Comer poesia...parece-me bem :)
    bom fim de semana
    abraço

    ResponderEliminar
  2. Poesia faz parte, até mesmo sem tempo, é com poesia que se diz isso!
    Um abraço e bom final de semana.

    ResponderEliminar
  3. Natália Correia,tinha toda a razão!
    O poeta alimenta-se de poesia e a poesia alimenta-se pelo poeta...
    Bji amigo

    ResponderEliminar
  4. Esta é a poesia que todos entendem. Você é fantástico com as palavras. Abraços

    ResponderEliminar
  5. Bom dia,

    Informação:

    Na próxima quarta-feira, dia 13 de Maio, a partir das 00:01, entrevista com Murilo Hildebrand de Abreu, dos blogues «Palavra de Osho» e «Os nascimentos das palavras» no meu blog «Cova do Urso»

    http://cova-do-urso.blogspot.com/

    O dia 13 de Maio tem um significado especial para Portugal e Brasil. No nosso país ocorreram as aparições marianas em Fátima e no Brasil, a escravatura foi abolida. Não poderíamos estar mais sintonizados com uma data tão especial.

    Estando você na lista de blogs do Palavras de Osho, talvez queira conhecer o homem que edita um dos blogs mais interessantes da actualidade. Apareça para dar um alô ao Murilo.

    Quarta-feira, dia 13 de Maio, a partir das 00:01

    Grato

    António Rosa

    (Apesar de estar a promover a entrevista do editor do Palavras de Osho, fiquei gratamente surpreendido e apreciei o seu blog, que não conhecia. Parabéns.)

    ResponderEliminar
  6. QUERIDO ANÍBAL... MARAVILHOSO POEMA... GRATA PELA VISITA... ABRAÇOS DE CARINHO,
    FERNANDINHA

    ResponderEliminar
  7. Que todos, então, comemos poesia!

    Um abraço

    ResponderEliminar
  8. Olá Aníbal!

    Escasso é sempre o tempo para as coisas boas da nossa vida.
    Felizes aqueles que não sobrevivem sem poesia ...

    Muitos beijinhos
    Alcina

    ResponderEliminar
  9. A poesia alimenta-nos a alma, mas a barriguinha....tem mesmo que ser no ganha-pão do dia a dia, não é amigo?

    Beijo

    ResponderEliminar
  10. Para comer, a poesia. Tinha razão a Natália. Há por aí muitos subnutridos de emoção. Gostei da maneira como jogou com as palavras.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  11. Faça uma lista de grandes amigos,
    quem você mais via há dez anos atrás...
    Quantos você ainda vê todo dia ?
    Quantos você já não encontra mais?
    Faça uma lista dos sonhos que tinha...
    Quantos você desistiu de sonhar?
    Quantos amores jurados pra sempre...
    Quantos você conseguiu preservar?
    Onde você ainda se reconhece,
    na foto passada ou no espelho de agora?
    Hoje é do jeito que achou que seria?
    Quantos amigos você jogou fora...
    Quantos mistérios que você sondava,
    quantos você conseguiu entender?
    Quantos defeitos sanados com o tempo,
    era o melhor que havia em você?
    Quantas mentiras você condenava,
    quantas você teve que cometer ?
    Quantas canções que você não cantava,
    hoje assobia pra sobreviver ...
    Quantos segredos que você guardava,
    hoje são bobos ninguém quer saber ...
    Quantas pessoas que você amava,
    hoje acredita que amam você?
    (Oswaldo Montenegro)

    Desejo uma semana com muito amor, carinho e saúde
    Um grande abraço do amigo
    Eduardo Poisl

    ResponderEliminar
  12. com saudades imensas de Natália

    das noites longas do Botequim
    e as doses de POESIA

    nunca a mais


    .
    um beijo

    ResponderEliminar
  13. Deixei um selinho para ti no meu blog.

    Beijinho

    MV

    ResponderEliminar
  14. Caro Aníbal, interessante o seu versejar ! Cheguei ao seu blog aravés do Página para dois. Escrevo poesias para adultos e crianças. Espero que possamos manter contato dentro da rede da poesia. Um abraço.

    ResponderEliminar
  15. ...é pra comer até saciar nossa fome de emoção, de beleza...

    Ótimo dia pra vc...bjo!

    ResponderEliminar
  16. belas rimas.

    a poesia é para comer, uma frase da Natália Correia, que ficará para além dos tempos.

    beij

    ResponderEliminar
  17. disse a Natália
    dizes tu
    digo eu e muitos mais

    há tanta gente a precisar
    .
    .
    .
    Obrigado

    ResponderEliminar
  18. Pois é Anibal a poesia é mesmo para comer, para alimentar a alma. Que pena haver tantos a não o terem ainda descoberto!
    Depois desta tua dieta de poesia, voltarás de certeza com uma vontade enorme, não de a comer, mas de a devorares.

    Beijinho

    MV

    ResponderEliminar
  19. Olá Aníbal,

    Que bem que estão as tuas palavras.
    Deve ser por mastigares bem a poesia antes de a engolir.

    Um abraço grande
    Jorge Freire

    ResponderEliminar
  20. Poesia é alimento, sim. Da alma. E a alma é tudo. Um abraço

    ResponderEliminar
  21. Um banquete de poesias...hum, me fartaria!
    Aproveito para te deixar meu beijo e o desejo de um ótimo fim de semana!

    ResponderEliminar
  22. Caro Anibal,
    Fabuloso pensamento de poeta!

    Beijinhos,
    Ana Martins

    ResponderEliminar