sexta-feira, maio 07, 2010


POR EXEMPLO, SUPONHAMOS

Vamos supor, por exemplo,
Um sol que estes céus fendia
E se oferecia em calor,
E que em nós dois se acendia
Uma chama de alegria
Em cada gesto de amor,
Trocado no nosso templo.

Vamos supor, por exemplo...


Por exemplo, suponhamos,
Um arco-íris no ar,
Um riso de vagabundo.
Que conseguimos achar,
Um jeito de festejar,
Em cada simples segundo,
O muito que nos amamos.

Por exemplo, suponhamos...


Ponta Delgada, 2010-05-07

12 comentários:

Eduardo Aleixo disse...

Bonito, festivo, alegre poema de amor, contente, saltitante, radiante. Gostei. E deixo-te um abraço.

rosa-branca disse...

Lindo poema, alegre, feliz, que o céu se fendia para dar alegria. Não precisa o céu abrir, basta ler o teu poema, já é uma felicidade. Beijo meu

Zélia Guardiano disse...

Lindo,lindo, lindo, Aníbal!
Suave, delicado e bem feito...
Que bom que qchei o seu blog!

Um forte abraço.

ausenda disse...

Poesia é isto...inspiração, criatividade, cor e muito sentimento!Gostei dela, Aníbal!

Um beijo

Licínia Quitério disse...

Belo poema. Legível e cantável.
Abraço.

O Profeta disse...

Passei para te deixar um abraço...

tecas disse...

Excelente poema. Musicado seria...
Sublime.
Parabéns e obrigada pelo comentário
deixado no meu blog.
Um abraço amigo

Graça Pires disse...

Podemos sempre supor que somos crianças alegres e descontraídas...
Um abraço.

CamilaSB disse...

«Por exemplo suponhamos »que se não existisse o amor não existiria beleza no mundo! Encantador o seu poema como uma doce melodia.

maré disse...

disseram-me

criança é ter uma amora na boca
nas mãos
ter um balão

criança é riso
solto e liberto

criança é ser um barco de esperança


___

todas as suposições são permitidas

beijo Aníbal

© Piedade Araújo Sol disse...

vamos supor, porque não?!

um belo poema que aqui nos traz, muito alegre, e melodioso.

beij

Alcina disse...

Belíssimo poema!
"Suponhamos" então que dele uma bela música emergia.
Abraço
Alcina