quinta-feira, setembro 06, 2012











LIBERDADE

a casa
a vida
e o verbo

estupida-
mente
simples
porque
os sonhei assim
e assim os quero

república livre
dos homens
de voo fácil

concha fraterna
da perene claridade

respiradouro
de ar imaculado
por debaixo da bruma

pátria
da utopia
e da quimera
território amado

deslumbramento de olhos
na imensidão das águas
e dos céus estrelados

Aníbal Raposo
Relva, 2012-09-06

1 comentário:

Por Amor disse...

MEU QUERIDO ANÍBAL !!! Que belo conseguir bater com lindas palavras como as tuas ... Pois merecemos sim estes teus versos ...um povo lindo e alegre e tão ...tão maltratado pelo poder !!! merecíamos um melhor sorte!!! Com um grande abraço Pedro Pugliese