sábado, junho 09, 2018
















OS PÁSSAROS DE VENTO

Ah! Esta constante espera
pela visita dos pássaros
de vento...

Chegam, em grupo,
adejando em círculos,
por cima dos telhados.
Entram, depois, casa adentro,
sem bater à porta.
Sabem-na sem trinco
para antigas e cúmplices amizades.

Em recente visita,
brindaram-me com uma
paleta repleta de cores.
Num golpe de magia,
libertaram estas velhas mãos,
para a vertigem dos tons e do traços
no deserto das telas cruas.

Suspiro
pela próxima.

Prometeram
trazer-me de novo
a música das palavras.

Relva, 2018-06-09
Aníbal Raposo

4 comentários: