segunda-feira, setembro 19, 2005



A MÁSCARA

Dêem-nos tempo para pormos a máscara
Perdidos que estamos nas esquinas do medo
Dêem-nos um barco, um leme e uma bússola
E partiremos de manhã cedo

Temos um sol quente
Um céu azul forte
Vamos no mar largo
Abrimos o pano todo ao vento norte

Queremos um quarto forrado de espelhos
Para mirarmos a nossa nudez
Corremos o risco de chegarmos a velhos
Sem nunca sabermos da loucura a lucidez

Sabemos do beijo que roça a carícia
Sabemos da caixa que guarda os segredos
Sabemos da vida, fingida, a malícia
Tocamos na lua com a ponta dos dedos


Maré de Agosto de 1994

1 comentário:

amok_she disse...

'brigada!;-)

:-*