segunda-feira, julho 23, 2012





GRITOS

Às vezes
Dou-me a beber
O amargo fel
Das palavras cruéis
Que são dias escritos.

Masoquista, eu?
Sabe-me bem...

Faz-me lembrar
E não perder de vista
Que esta vida
Não contém
Só alegrias,
Suaves melodias.

Contém
Também,
Profundos,
Rotundos,
Telúricos,
Impúdicos,
Roucos,
E loucos


Gritos!!!


Aníbal Raposo
Ponta Delgada, 2012-07-23

3 comentários:

Por Amor disse...

Caro amigo ... palavras verdadeiras ...solidarizo-me com este que sofre pois conheço de perto a dor ... não sou masoquista...mas como tirar do coração um amor mal resolvido por exemplo ...e as vezes sem solução pois daqui já partiu ... assim como em suas palavras eu grito ... grito a dor de algo inexplicável a mim e a você e a todos A MORTE . Com carinho Pedro Pugliese.

Aníbal Raposo disse...

Obrigado Pedro. Um abraço.

Maria Campos disse...

E é aqui que temos que saltar, brincar, cantar, dançar e...gargalhar!