segunda-feira, julho 09, 2012



















O CAMINHAR DOS NÚMEROS

Assim nos querem.

Esculturas perfeitas
Pintadas a cinza
Marchando alinhadas,
E à mão de semear.

Seres sem horizontes,
Privados da música,
Do sal das palavras.

Sem nome
E sem asas.


Pior!
Sem vontade
De voar.

Aníbal Raposo
Ponta Delgada, 2012-07-09

4 comentários:

Multiolhares disse...

Mas quando entendemos que não somos máquinas movidas por alguns, quando sabemos e sentimos que somos unos e não nos deixamos manobrar uma porta se abre para gritarmos. "não"
beijos

Rafael Castellar das Neves disse...

Excelente, Aníbal...Gostei da carga e da intensidade....

[]ss

© Piedade Araújo Sol disse...

atual!

também acho!

um beij

Nilson Barcelli disse...

Eles querem, de facto.
Mas temos que lhes fazer um manguito.
Excelente poema, gostei imenso.
Um abraço.