segunda-feira, outubro 24, 2016


















EM CADA COISA SIMPLES TE REVEJO

Recordo muito bem quando apareceste
Estava sem rumo, perdido no deserto
E foi tão pouco e tanto o que fizeste
Que já não sei viver sem te ter perto

Não custa confessar, de ti preciso
Porque tu és a porta que franqueia
A alegria que abre o meu sorriso
A chispa que os meus olhos incendeia

Paz e harmonia, a luz do meu sol pôr
Nota feliz na pauta do desejo
E é por seres assim, oh meu amor,
Que em cada coisa simples te revejo

Relva, 2016-10-22
Aníbal Raposo

Sem comentários: