segunda-feira, outubro 22, 2012















OS CARNEIRINHOS

Os carneirinhos tão engraçados
Vão  p'ró redil com mil cuidados.

Sempre em manada, que rica que é,
Não dizem nada, fazem mémé.

Todos os anos os carneirinhos
São tosquiados sempre mansinhos.

Distraidinhos, sem intenção,
Entram um dia num camião.

Seguem fofinhos, são um tesouro,
Alegrezinhos p'ró matadouro.

Quando, por fim, abrem os olhinhos
Já é tão tarde vão p'ra bifinhos.

Muito maltratam os probrezinhos
A linda graça dos carneirinhos.

E inda se lembram, sempre também,
Dos seus paizinhos, das mães que têm.

Aníbal Raposo
Ponta Delgada 2012-10-22

2 comentários:

Mar Arável disse...

Os carneirinhos tambem são filhos de deus

digo eu

Anónimo disse...

Os carneirinhos filhinhos são
talvez de mãe, que não carneira,
lhes incutiu que só poderão;
ir longe assim na sua carreira

Felizes ou não com este ofício,
carneiros são sem outra sina,
até chegarem ao suplício
de perecerem na carnificina

Gostei muito da forma pueril com que o Aníbal tratou os carneirinhos
(Fábula deliciosa!).Omaia