quinta-feira, dezembro 04, 2014























CORPOS CELESTES

Enquanto céus puder edificar
Hei de plantar luas de prata em mares azuis safira
Semearei estrelas em prados infinitos
E desenharei anéis, cheios de brilhantes,
Para fazer notar, como é devido,
Os corpos celestes.

Relva, 2014-12-04
Aníbal Raposo

Sem comentários:

Enviar um comentário