sexta-feira, novembro 14, 2008


O homem do leme - escultura de Américo Gomes

DA VIDA E DO RUMO

No que concerne
À atitude
Assumo a postura
Do fio-de-prumo.

Rectilínea,
A probidade do espírito.
A esquadro a traço.

O círculo perfeito, destino
À verdade e à lealdade,
Virtudes irmãs
Que risco a compasso.

E a proa da barca
Da vida e da morte
Apontada a norte
Por ser o meu rumo.

Relva, 2008-11-17
Aníbal Raposo

3 comentários:

leonor costa disse...

Obrigada pela visita. Gostei da sua poesia e também de ouvi-lo. Volte sempre!


HOJE E AMANHÃ

Paula Raposo disse...

Belíssimo poema!! Gostei. Beijos.

Maria Valadas disse...

Fiquei cativada pelo poema e por toda a sua poesia desde a primeira vez que o li.

Beijos.