quinta-feira, abril 23, 2009



ABCISSA ZERO

uma urgência,
um dia de Abril,
um cravo na G3,
uma vivência única, 
um referencial cartesiano,
uma vida-ponto.

dois eixos.

o dos xx,
tal como os pés,
na terra assente.

uma subtil tarefa:
manter o dito ponto
com abcissa zero. 

Ponta Delgada, 2009-04-23
Aníbal Raposo

PS: num referencial cartesiano um ponto com abcissa zero está situado sempre no eixo dos yy e portanto, ao caso, na vertical.

17 comentários:

  1. Gostei!! Um poema matemático...beijos.

    ResponderEliminar
  2. Abril... tantos lutaram pela liberdade, será que ainda sabemos o que isso é?
    beijos

    ResponderEliminar
  3. Com os cravos vermelhos

    festejamos memórias

    construimos amanhãs

    ResponderEliminar
  4. Gracias por tus bellas palabras en mi blog,yo hoy no entendi muy bien tu poesia ,el Idioma a veces me falla segun lo que hay escrito pero me parecia muy interesante.
    te dejo (beijos)jajaja ¿lo dije bien?
    Marina

    ResponderEliminar
  5. O horizonte de Abril é o caminho que se faz...erguido!

    Um cravo vermelho para ti
    Bj

    ResponderEliminar
  6. A amizade é o conforto indescritível de nos sentirmos seguros com uma pessoa, sem ser preciso pesar o que se pensa, nem medir o que se diz.
    (George Eliot)

    Tenha um final de semana com muito carinho.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  7. Passei a agradecer a tua visita.
    Ñ podia,nem queria,vir sem um cravo vermelho, para ti.
    Beijo.
    isa.

    ResponderEliminar
  8. Canção do dia de sempre

    Tão bom viver dia a dia...
    A vida assim, jamais cansa...
    Viver tão só de momentos
    Como estas nuvens no céu...
    E só ganhar, toda a vida,
    Inexperiência... esperança...
    E a rosa louca dos ventos
    Presa à copa do chapéu.
    Nunca dês um nome a um rio:
    Sempre é outro rio a passar.
    Nada jamais continua,
    Tudo vai recomeçar!
    E sem nenhuma lembrança
    Das outras vezes perdidas,
    Atiro a rosa do sonho
    Nas tuas mãos distraídas...
    Mário Quintana

    Meus votos de um excelente final de semana, junto
    às pessoas que ama.
    Um abraço do amigo

    Eduardo Poisl

    ResponderEliminar
  9. Gracias por ser mi amigo y por tus delicadas palabras a mis versos
    Abrazos
    Marina Pastor

    ResponderEliminar
  10. giríssimo este teu poema
    a
    que acrescento um beijo
    especialíssimo
    num dia ,igual mente ,especial

    por Abril
    SEMPRE


    .
    um beijo

    ResponderEliminar
  11. Definir a uma posição vertical.
    Abril liberdade, Abril cravos, Abril memória. Abril actual de ventos incertos. Excelente poema.
    Bji

    ResponderEliminar
  12. Um poema profundo a assinalar uma data Histórica!

    Beijinhos,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  13. É com os pés assentes na terra que continuaremos em direcção às portas que Abril ainda não abriu ...

    Que apenas se cante para recordar e porque é bela a melodia, que
    "Cortaram o bico ao rouxinol, rouxinol sem bico não pode cantar ... , rouxinol sem asas não pode voar"

    Beijos
    Alcina

    ResponderEliminar
  14. Um belo poema para Abril.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  15. E que haja sempre forças para que se mantenha na vertical.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  16. Saudades Aníbal,
    Fico feliz demais ao ver sua obra literária...
    A net só tem a ganhar com sua presença e escritos dignos
    do grande poeta que vc é, de fato.
    Há alguns dias não vinha aqui, aproveitei e me alimentei de
    uma farta porção de sua inspiração...
    Hoje vim te ler, e compartilhar com você um presente:
    Sou a poetisa da semana no Blog do VALTER POETA e
    é claro, gostaria que lesse, e caso queira, opine.
    É sempre pra mim um prazer e uma honra saber sua concepção,
    sua opinião, seu parecer.

    Te espero...

    http://valterpoeta.blogspot.com


    Beijinhos...

    Glória

    ResponderEliminar