segunda-feira, abril 13, 2009


A FALUA DE ISTAMBUL

Maio.
Antes de Abril, ao escuro, já te pressentia.  
Inda hoje, saudoso, a um cerrar dos olhos, enxergo a tua recortada imagem:
Os sonhos ardendo pela rua no desaguar das multidões da esperança.  

Maduro 
Agora. Perdendo viço, mas Maio sempre.
Do meio da bruma, surgirá um dia, rompendo a madrugada,
Uma falua que há-de aproar aqui chegada de Istambul.
Rasgará as águas deste pântano impelida por suas velas latinas, grávidas de vento.
Ouviremos então de novo os belos versos do cantor. 

Maio. 
Até quando
Irás ser
O mês sonhado? Quando decides fazer-te realidade?

Ponta Delgada, 2009-04-13
Aníbal Raposo

Solicitação da minha amiga Amita para a noite de poesia a realizar a 2 de Maio em Vermoim. O tema é: Maio, maduro Maio, como o cantou José Afonso. Espero que seja do vosso agrado. 

18 comentários:

  1. Caro poeta,

    muito bom e muito bonito... Gostei!

    Beijinhos,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  2. Olá Aníbal!
    "Que dizer" desta bela melodia retratando em Abril a esperança de um Maio finalmente Maduro?
    Apenas me ocorre dizer que continuas a encantar com a tua palavra e o teu belo canto.
    Beijinhos
    Alcina

    ResponderEliminar
  3. Olá Alcina,

    Obrigado pelas tuas palavras de estímulo.

    Beijos

    ResponderEliminar
  4. Muito bom...

    Ótima semana pra vc!

    ResponderEliminar
  5. muito linda esta ode ao mês de maio
    beijos

    ResponderEliminar
  6. Los vientos me llevaron a Estambul.
    Los mismos que hicieron que me enamorara de ella.
    Un beso.

    ResponderEliminar
  7. Olá Aníbal
    Só agora consegui vir à net e ler este maravilhoso poema. Fiquei encantada, poeta.
    Se não te importas, vou copiá-lo para ser lido, em teu nome, em Vermoim no próximo dia 2.
    Essa noite de Poesia ficará mais rica.
    Um bjinho e uma flor

    PS: Vou dar o link do teu blogue ao Zé do Movimentum, está bem?
    Bjo

    ResponderEliminar
  8. Cara Amita,

    Fiquei muito feliz por teres gostado do poema. Claro que não me importo, era esse o objectivo.
    Agradeço o link ao meu blog.

    Beijos

    ResponderEliminar
  9. Ouviremos sim os versos do cantor, ouviremos sim a voz de Maio, o Maio sonhador!

    ADOREI, ANIBAL!Grande momento!
    Obrigada

    Um beijo

    ResponderEliminar
  10. Ops!!!! Saiu em anónimo, foi mesmo sem querer!
    Desculpa

    ResponderEliminar
  11. Aníbal,


    urge o florir de Maio.

    A concretização de Maio.

    Até lá, a poesia é a falua da esperança.

    Deixo-te um beijinho e no meu blog, um selo simbólico.

    Não é o mês de Maio de união?

    ResponderEliminar
  12. Selinho para ti no meu blog.

    Beijinhos

    MV

    ResponderEliminar
  13. muito bem

    Maio
    Maduro
    Maio

    e já aí vem!

    beij

    ResponderEliminar
  14. Continuamos a aguardar o Maio o Abril, a liberdade que tanto esperamos, vivemos e agora não a entendemos
    Beijos

    ResponderEliminar
  15. Um poema maravilhoso...gostei imenso. Eu ainda não contribuí com o meu para Vermoim. Beijinhos.

    ResponderEliminar
  16. Lindo poema- acróstico.
    Encorpado e envolvente.
    Tem perfume, movimento.
    Parabéns!!
    Beijinho

    Glória

    ResponderEliminar