sábado, janeiro 17, 2015



















DE NOVO A ESTRADA

Já vou de romeiro, que é bom caminhar
Já rezo na estrada, já posso pensar:
P'ra quê tanta proa, porquê tantos medos
Se a vida se esvai num estalar de dedos?

Relva, 2015-01-17
IR Aníbal Raposo

Sem comentários: