segunda-feira, janeiro 12, 2009


Fotografia: Sónia Nicolau

FIM-DE-SEMANA

Deixei lá em cima
a dita civilização
e a neblina húmida
beijando os pés
das almas frias, gémeas
dum fim-de-semana
invernoso.

Na minha fajã
o sol insiste em acariciar-me a cara
e aproveita para me fazer ciúmes
beijando cada árvore que plantei.
Ao meio-dia os sargos,
de frescos, saltam na grelha.
Reaparecem os cheiros da infância
na coluna de fumo
que se ergue da fogueira
de canas, verticalmente,
na atmosfera calma. 

A primavera apressada
quer já fazer-se anunciar
nos abrolhos verdes
dos ramos das figueiras.
E há sempre, no cimo da falésia
o pio dos milhafres, aves irmãs
orgulhosas e libertas.

Esta é a oração mais piedosa
que me ocorre nesta hora:
bendigo o Criador do universo
por estar vivo,
aqui e agora.

Aníbal Raposo
2009-01-11

11 comentários:

  1. Caro Aníbal, uma inspiração esplendorosa. Parabéns!

    Um Abraço,
    Carlos Barros

    ResponderEliminar
  2. Adorva ter o "dom da palavra", mas acho que realmente cada um expressa-se como sabe, parabéns pelos seus poemas. Feliz 2009.

    ResponderEliminar
  3. Aníbal,
    bonitas palavras...a beleza de viver está em podermos desfrutar de tantas coisas lindas que o Criador do Universo nos presenteia sempre...
    bjos...
    Branca.

    ResponderEliminar
  4. Caro Anibal,
    a poesia é assim...
    composta por momentos,
    por pequenos e grandes gestos, sentimentos e pensamentos,
    desejos e afectos...

    Parabéns pela oração tão intensa em poesia!

    Beijinhos,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  5. É engraçado, mas sempre nos atemos aos fatos da infância quando queremos explicar o que somos hoje. Deixamos completamente de lado o modo como os cheiros que sentíamos de certa forma também nos modelaram, pelo menos na busca do que seria uma paisagem ou momento ideal para nós.

    Abraço

    ResponderEliminar
  6. Bom dia hoje deixo um comentário diferente, um carinho para si.
    Saudades...

    Fernando Pessoa
    "Um dia a maioria de nós irá se separar. Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora, as descobertas que fizemos, dos sonhos que tivemos, dos tantos risos e momentos que compartilhamos.

    Saudades até dos momentos de lágrima, da angústia, das vésperas de finais de semana, de finais de ano, enfim... do companheirismo vivido.

    Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre. Hoje não tenho mais tanta certeza disso. Em breve cada um vai pra seu lado, seja pelo destino, ou por algum desentendimento, segue a sua vida, talvez continuemos a nos encontrar quem sabe...

    Podemos nos telefonar, conversar algumas bobagens... Aí os dias vão passar, meses... anos... até este contato tornar-se cada vez mais raro.

    Vamos nos perder no tempo... Um dia nossos filhos verão aquelas fotografias e perguntarão?
    Quem são aquelas pessoas? Diremos... Que eram nossos amigos. E... isso vai doer tanto! Foram meus amigos, foi com eles que vivi os melhores anos de minha vida!

    A saudade vai apertar bem dentro do peito. Vai dar uma vontade de ligar, ouvir aquelas vozes novamente... Quando o nosso grupo estiver incompleto.. . nos reuniremos para um ultimo adeus de um amigo. E entre lágrima nos abraçaremos.

    Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado.

    E nos perderemos no tempo... Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo: não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades seja a causa de grandes tempestades. ..

    Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!"


    Beijo
    ConceiçãoB

    ResponderEliminar
  7. Agradeço todos os comentários. Desta vez permitam-me uma palavra especial para o texto de Fernando Pessoa que a Conceição Bernardino me enviou. É um texto lindíssimo, não só pela sua forma mas, principalmente, pelo seu profundo conteúdo. Infelizmente é o que nos acontece nas nossas vidas a maior parte das vezes.
    Beijos e abraços para todos.

    ResponderEliminar
  8. Uma Fajã famosa...inspiradora...um dia destes tenho que descer lá abaixo...


    Abraço

    ResponderEliminar
  9. Cresci a ouvir as suas músicas! Sou fã das palavras, das melodias e da nostalgia que vem atrelada a elas...
    Parabéns *

    ResponderEliminar
  10. Muito linda sua poesia!
    Obrigada por tornar-se um seguidor de meu blog!
    convido-o a ler um post que fiz a algum tempo atrás que chama-se:Vales,montanhas e rios...

    ResponderEliminar